terça-feira, 1 de novembro de 2011

Pan

Continuo aqui em Guadalajara para os Jogos Para Pan Americanos, entao o teclado continua sem os acentos da língua portuguesa, entao o texto vai sair com alguns erros.

Bom, terminado o Pan e a análise da participacao brasileira, vamos a algumas análises da participacao das principais delegacoes

EUA
Com um time principal em 22 das modalidades olimpicas e na grande maioria das nao olimpicas, o pais conseguiu pela decima quarta vez em 16 edicoes dos Jogos a primeira posicao dos Jogos.
Vale lembrar que em 2007, ha quatro anos, o pais levou equipe principal em 16 esportes olimpicos, o que mostra um interesse um pouco maior dos yamkees, principalmente pelo fato de o numero de esportes que dao vagas diretas para a Olimpíada ter aumentado.
Foram 92 ouros, 79 pratas e 65 bronzes, num total de 236 medalhas. Uma campanha um pouco inferior a de 2007, quando foram 97 ouros.
A primeira posicao foi concretizada logo no primeiro dia, quando o pais ja disparou na lideranca do quadro.
A natacao, com 18 medalhas de ouro, foi o grande destaque do pais, principalmente a feminina que conquistou 14 das 16 provas em disputa. A selecao dos EUA foi uma mescla de equipe B com equipe C que nao teve muitas chances contra o Brasil no masculino, mas deu um baile no feminino.
A esgrima quase gabaritou o Pan, foram 11 medalhas de ouro em 12 disputas. No tiro, resultado muito bom tambem, como de costume, 10 ouros em 15 disputas. Na ginastica, um total de 9 ouros na soma de ritmica, com time A, e artistica, com time B.
O objetivo de conquistar vagas olimpicas foi alcancado na maioria dos esportes, com destaque para o polo aquatico, que levou o ouro e o passaporte para Londres tanto no masculino como no feminino, numa final emocionante, vencida nos penaltis. Um grande resultado tambem no hoquei na grama, com medalha de ouro no feminino, com vaga olimpica e fim da hegemonia argentina.

CUBA
Cuba comecou capengando, depois de tres dias de competicoes tinha apenas um ouro. Até o antipenultimo dia de competicoes, esteve atrás do Brasil. Mas o boxe, com oito medalhas de ouro, e o atletismo, com 18, deram um show nos ultimos dias e Cuba deixou o Brasil para tras.
58 ouros, 35 pratas, 43 bronzes, um resultado muito parecido com quatro anos atrás, quando foram 59 ouros.
Tambem importante lembrar que nao houve nenhuma desercao de atleta na delegacao, apenas de um jornalista.
Na delegacao cubana, muitos campeoes mundiais e medalhistas olimpicos, principalmente nos esportes individuais. 52 medalhas de ouro foram conquistadas por atletas individuais.

MÉXICO
Os donos da casa fizeram a festa e tiveram um resultado muito acima do esperado. Foram 42 ouros, 41 pratas e 50 bronzes, disparado o melhor resultado da historia. O desempenho nos saltos ornamentais, com oito ouros, foi incrível. No taekwondo, outra paixao nacional, nao foi tao boa, com apenas um ouro.
Esportes sem a minima tradicao, como remo, ciclismo, esgrima ganharam medalhas. Os coletivos foram ainda melhores, com campanhas surpreendentes no basquete, handebol ,volei, culminando com o titulo no futebol masculino.
Mas, vale lembrar tambem que, dos 42 ouros 17 foram conquistados em modalidades ou provas nao olimpicas. So na pelota basca, squash e raquetebol foram 13 ouros.
Sairam felizes, com o objetivo cumprido mas sabendo que em termos Olimpicos nao foi isso tudo.

CANADA
Talvez o pais que menos se importe com o Pan. O que menos trouxe jornalistas, o que teve participacao de mais equipes reservas. Porem, apesar disso, dois campeoes olimpicos em Pequim estiveram aqui, um deles, Carol Hynuh da Luta se deu bem, outro, Eric Lamaze saiu sem medalha.
Foram 30 ouros, 40 pratas e 49 bronzes, numa quinta posicao que precisa ser repensada para 2015, quando o pais sediará o evento, em Toronto.

COLOMBIA
O titulo dos Jogos Sul-americanos ano passado nao foi mero acaso. Com bastante investimento no esporte, o pais cresceu e repetiu a sexta posicao do Pan do Rio, novamente a frente da Argentina e Venezuela. Foram 24 ouros, 25 pratas e 35 bronzes.
So em ouros, foram 10 a mais que no Rio.
Grande destaque para o ciclismo, que garimpou sete medalhas de ouro.

ARGENTINA
Um Pan melhor que a encomenda para nuestros hermanos. O esporte esta em decadencia no pais e, assim, as 21 medalhas de ouro devem ser comemoradas, por ser um numero bem maior que no Rio. A setima posicao, porem, uma tristeza para um pais que foi campeao da primeira edicao do Pan, em 1951.
Grande destaque para o remo, que saiu de Ciudad Gusman com cinco medalhas de ouro. Importante lembrar tambem que sete destas medalhas douras terem vindo de competicoes nao olimpicas

VENEZUELA
Com 12 medalhas de ouro, o pais repetiu o resultado do Pan do Rio, mas ficou uma posicao atras, terminando em oitavo. Um resultado um pouco abaixo do esperado, ja que imaginavam-se 16 douradas.
Destaque para o ciclismo, que levou cinco titulos. Como é de tradicao, o pais conquistou medalhas em varias modalidades e em muita quantidade mas pouca qualidade. Alem das 12 de ouro foram 27 de prata e 32 de bronze.

REPUBLICA DOMINICANA
O pais se consagra definitavamente como a nona potencia do continente. Levou em Guadalajara sete medalhas de ouro em cinco modalidades diferentes, mas ainda nao conseguiu repetir o resultado de quando sediou o evento, em 2003, com 10 ouros.
Destaque para a selecao feminina de tenis de mesa e para o taekwondo, que saiu com dois titulos.

EQUADOR
Um dos paises que mais evoluiu na América, pelo sexto Pan seguido melhorou a posicao no quadro de medalhas. Entrou no TOP-10, com sete medalhas de ouro, além de oito pratas e nove bronzes. O levantamento de peso, com tres ouros, foi o destaque mas o canoista Cesar de Cesare, que ja tem a vaga olimpica, levou o ouro para o pais.O atletismo ate que medalhou bem, mas nao na marcha, onde o pais tem mais tradicao.

Siga o blog no twitter: @brasilemlondres

Um comentário:

  1. Muito bom o resumo que fez sobre o desempenho dos principais países.

    ResponderExcluir