segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Tênis e basquete


O tênis tentará nessa semana o que o basquete conseguiu no último sábado. Há anos longe de uma competição importante, bateu na trave algumas vezes, esteve muito próximo na última tentativa e terá uma pedreira pela frente. Se o basquete masculino conseguiu a classificação para uma Olimpíada depois de quatro tentativas falhas(3 pré-olímpicos das Américas e um pré olímpico mundial), o tênis busca a partir de sexta-feira voltar a elite da Copa Davis, onde não está desde 2003.

Os dois esportes tem muito em comum. Está no coração dos brasileiros. Existem muitos brasileiros fanáticos por tênis e muitos outros fanáticos por basquete. Arrisco dizer que os dois, apesar de não ter os brasileiros no topo do mundo atualmente, são os dois esportes mais vistos por aqui, depois do futebol, claro.

Outras coisas em comum. Se o tênis teve uma Maria Ester Bueno nos anos 50 e 60, o basquete teve uma geração de ouro na mesma época, bi campeã mundial e com três medalhas olímpicas. Por sinal, ambos não são reconhecidos como deveriam.
Recentemente, os dois esportes brilharam também. O time feminino foi campeão mundial em 1994 e duas vezes medalhista olímpico em 1996 e 2000. Já o tênis teve talvez o maior ídolo de um esporte individual da história do país, Gustavo Kuerten.

Depois das meninas do basquete e Guga, os dois esportes poucos resultados conseguiram. Mas há uma esperança. O time masculino de basquete se acertou nos últimos anos, ganhou a Copa América de 2009, fez um razoável mundial em 2010 e agora conseguiu o maior objetivo de todos, a vaga olímpica.

O tênis brasileiro também vem numa crescente. Depois de anos sem um jogador entre os 40 do mundo, Thomaz Bellucci apareceu para o mundo em 2009, teve um 2010 muito bom e um 2011 cambaleante, mas que pode culminar numa vitória contra a Rússia na Copa Davis.

Se o basquete masculino bateu na trave para voltar à uma Olimpíada nas últimas quatro vezes, o tênis brasileiro disputa a repescagem do Grupo Mundial desde 2006. Se nos pré olímpicos de 1999 e 2003 o Brasil ficou distante da vaga olímpica, o time brasileiro da Davis não teve muitas chances em 2006,2007 e 2008. Se o time de basquete bateu na trave e deixou escapar uma vaga que estava na mão no pré olímpico de 2007, os tenistas brasileiros tiveram duas derrotas que pareciam impossíveis nos dois últimos anos na repescagem da Davis, uma contra o Equador, em casa, e outra contra Índia, sofrendo a virada após ganhar por 2x0.

O final do basquete foi feliz. Confesso que o do tênis é mais difícil que termine com vitória brasileira. Jogar na Rússia será muito complicado.

Que o basquete brasileiro tenha mostrado ao tênis que dá para chegar!!

Siga o blog no twitter: @brasilemlondres

2 comentários:

  1. Eu duvido muito q ganhe da Russia na Russia, mas vou torcer.

    ResponderExcluir