quarta-feira, 15 de junho de 2011

Taekwondo- 1ª chance

O taekwondo é um dos esportes brasileiros que mais cresceu nos últimos anos. Tanto que foi a único modalidade que nunca tinha ganho uma medalha olímpica e conquistou uma em Pequim-2008, com Natália Falavigna. Isso sem contar que Debora Nunes e Marcel Wenceslau perderam nas quartas-de-final no Golden Score, terminando na quinta posição.

No fim do mês, a partir do dia 30 de junho, acontece o primeiro Pré-Olímpico de taekwondo, que acontece em Baku, no Azerbaijão. Será um competição muito complicada, com participação de 345 atletas de 109 países. Apenas os três primeiros em cada uma das categorias olímpicas- quatro masculinas e quatro femininas- se classificam para Londres 2012.

A competição será feita em eliminação direta, sem repescagem. Os dois finalistas estarão classificados para Olimpíada e os perdedores das semifinais lutarão pelo famoso "bronze que vale ouro", pois o vencedor da disputa vai à Olimpíada. Lembrando que a vaga é conquistada para o país e não para o atleta.

Nesse ano, já aconteceu o Campeonato Mundial da modalidade, disputado na Coreia do Sul com oito categorias em cada naipe, o dobro das categorias olímpicas. O Brasil não ganhou nenhuma medalha, mas conseguiu várias vitórias importantes. Escrevi um especial sobre a competição, clique AQUI para ver.

Uma das particularidades do taekwondo é que cada país pode levar no máximo quatro atletas, dois homens e duas mulheres, para a Olimpíada, o que diversifica ainda mais as medalhas no esporte. Por exemplo, em Pequim 2008 22 países medalharam no esporte.

Segundo o site Oficial do Comitê Olímpico Internacional, para o Pré Olímpico de Baku, com início no próximo dia 30, cada país poderá levar apenas quatro atletas, dois homens e duas mulheres.

No site da Confederação Brasileira, nenhuma novidade sobre a competição ainda. É uma situação muito complicada, afinal tem que se escolher somente quatro dos oito titulares. Em quem apostar? Por exemplo, de duas categorias femininas ganharem a vaga olímpica nesse mundial ( o que é muito, muito difícil), a campeã mundial e medalhista olímpica Natália Falavigna estaria fora da Olimpíada, já que existe um limite de duas mulheres por país. Natália segue se recuperando da cirurgia no joelho e volta só no fim de julho.

Situação complicada.

Acredito que no masculino Diogo Silva, na categoria até 68kg, e Marcel Wenceslau, até 58kg, lutem. Porém, se Leonardo Santos, machucado, ter se recuperado bem pode ser uma boa pedida na categoria 80kg. No feminino, com Natália Falavigna contundida, acho que a Confederação deve depositar as fichas em Katia Arakaki, até 49kg. Raphaella Pereira deve ser a outra lutadora brasileira em Baku.

Enfim, são suposições. Espero que os técnicos acertem nas opções e que o Brasil se garanta na Olimpíada já nesse primeiro pré olímpico. A segunda chance será em novembro, no Pan-Americano do México, em que mais três vagas em cada categoria serão destribuídas.

Aí é mais interessante. Dentro das Américas, a categoria de Leonardo Santos não é tão forte e a classificação seria menos complicada que a de Diogo, por exemplo. Mais uma vez a estratégia da Confederação valerá muito.

Vamos torcer por nossos atletas e que o Brasil vá à Londres com quatro atletas.

Siga o blog no twitter: @brasilemlondres

4 comentários:

  1. Por favor, podería informar-me as datas dos jogos de taekwondo brasileiro em Londres. Já estão definidos?
    Muito obrigada.
    Fatima

    ResponderExcluir
  2. Fatima,

    Em Londres-2012, o taekwondo será disputado entre os dias 20 e 23 de agosto, com duas finais por dia.

    ResponderExcluir
  3. Fatima,

    Só uma correção: será entre os dias 08 e 11 de agosto, com duas finais por dia (20 a 23 foi em Pequim-2008).

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada.
    Fatima

    ResponderExcluir