quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Reportagem da Veja sobre badminton

Não vamos discutir o nível da revista Veja, como ela é vista entre os intelectuais do Brasil, a precariedade de suas matérias. Vamos falar de esporte, em que aVeja também deixa muito a desejar. Mas, na reportagem sobre badminton, eles passaram dos limites.

O jornalista Mario Sabino, que tem nome de atleta olímpico do judô, fez uma lamentável reportagem sobre o esporte de raquetes mais rápido do mundo. A matéria está scaneada na foto ao lado e vou publicar o que foi divulgado no blog http://badmintonbrasil.blogspot.com/, que achei fantástico

A todos aqueles que puderem comprar a revista, seria interessante dar uma olhada no que um jornalista escreveu sobre nosso esporte na pagina 102 de uma das mais conhecidas revistas de São Paulo.Pois é, o EXPERIENTE e CONHECEDOR DO ESPORTE jornalista MARIO SABINO, descreveu o esporte com as seguintes palavras: dois ou quatro sujeitos vestidos de tenistas, com raquetes, que parecem de tenis, só que menores adentram a quadra que se assemelha à de tenis , só que menor, para fingir que uma peteca é uma bola de tenis. Peteca não, Petequinha.Em outra parte de sua brilhante matéria, ele ainda vai alêm, se mostra um profundo conhecedor do esporte: "Se esporte com peteca já é constrangedor, o que dizer de um que admite partidas mistas? O badminton admite..." Ainda mais, ao assistir um jogo de duplas mistas entre duas duplas meramente conhecidas por todos... Com alguns respeitaveis titulos em quadra, nosso experiente jornalista assistiu à um jogo de dupla mistas, Gail Emms e Nathan Robertson (ENG) x Gao Ling e Zheng Bo (CHN) (REALMENTE DEVE TER SIDO UM JOGO MUITO CHATO), ele ainda continua vomitando asneiras: "Você deve estar se perguntando como é que, dada a discrepancia muscular dos gêneros , mulheres suportam enfrentar homens. A explicação é que, por causa da leveza da peteca, a resistencia do ar diminui bastante a sua velocidade final. Não adiantava , portanto, Zheng Bo aplicar raquetadas fortes na direção de Gail Emms. "Para terminar, Mario Sabino escreve a seguinte conclusão:"FICAR NO BANCO DURO DE UM ÔNIBUS QUARENTA MINUTOS É MAIS EMOCIONANTE DO QUE ASSISTIR A UMA PARTIDA DE BADMINTON, ESPORTE ADORADO PELOS CHINESES"

A Veja, que tanto deserviço fez para o Brasil nos últimos anos tenta fazer com que seus 700.000 leitores não gostem de badminton, fazendo um deserviço ao esporte brasileiro. Depois reclama que não vem medalha olímpica...
ps: Mario Sabino é editor chefe da revista.

2 comentários:

  1. Não é atoa que temos uma monocultura do futebol, no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. A veja é uma revistinha muito podre...

    ResponderExcluir